1888 e a necessidade de uma Nova Aliança

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

1888 e a necessidade de uma Nova Aliança

Mensagem por sodre em Ter Abr 12, 2011 10:35 am

Depois de ler
A Mensagem de 1888
+George R. Knight
Neste excepcional livro, a maior autoridade em historia da Igreja Adventista, Knight, coloca pra fora a historia de nossa doutrina
compre por R$ 16,40 no link da CASA
http://www.cpb.com.br/?cmdPage=cesta


O que a Nova Aliança requer de nós?

Antes de tudo devemos ler atentamente o que Hebreus 8 diz:
"Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de uma melhor aliança que está confirmada em melhores promessas.

Porque, se aquela primeira fora irrepreensível, nunca se teria buscado lugar para a segunda.

Porque, repreendendo-os, lhes diz: Eis que virão dias, diz o Senhor, Em que com a casa de Israel e com a casa de Judá estabelecerei uma nova aliança,

Não segundo a aliança que fiz com seus pais No dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; Como não permaneceram naquela minha aliança, Eu para eles não atentei, diz o Senhor.

Porque esta é a aliança que depois daqueles dias Farei com a casa de Israel, diz o Senhor; Porei as minhas leis no seu entendimento, E em seu coração as escreverei; E eu lhes serei por Deus, E eles me serão por povo;

E não ensinará cada um a seu próximo, Nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece o Senhor; Porque todos me conhecerão, Desde o menor deles até ao maior.

Porque serei misericordioso para com suas iniqüidades, E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais.

Dizendo Nova aliança, envelheceu a primeira. Ora, o que foi tornado velho, e se envelhece, perto está de acabar".



Agora não saia do site enquanto não ler o que II corintios 3 diz:


O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.

E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória,

Como não será de maior glória o ministério do Espírito?

Porque, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais excederá em glória o ministério da justiça.

Porque também o que foi glorificado nesta parte não foi glorificado, por causa desta excelente glória.

Porque, se o que era transitório foi para glória, muito mais é em glória o que permanece.

Tendo, pois, tal esperança, usamos de muita ousadia no falar.

E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório.

Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido;

E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles.

Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará.

Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.

Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.


.



O novo testamento nos conclama a vivermos sob uma nova aliança do Espírito e abandonar a antiga aliança da lei, da letra, das tabuas em pedra, que era gloriosa mas em nada resplandece diante da sobrexcelente gloria do ministerio do Espírito Santo. Era uma aliança provisoria segundo o apóstolo Paulo, ainda explica que o ministerio das leis serviu de aio para conduzir a Cisto, mas tornou-se caduca, ultrapassada, prestes a desaparecer, rudimentar, elementar, algo basico, rudimentos fracos e pobres, etc...

Jesus na verdade veio ser o verdadseiro ministro da religião de Deus na terra, veio ser o centro das atenções do pecador, veio ser tudo em todos , veio expressar exatamente o carater de Deus, que a lei expressava de foma ainda muito pobre, basica, elementar.

Jesus veio tambem ensinar muitas coisas, entre elas o vemos reexplicando e aprofundando a lei, mostrando que adulterar é tambem olhar com má intensão, que matar é ofender, e trouxe Jesus muitos outros ensinos no sermão da montanha, nas parabolas e em seu exemplo como servo de Deus até a morte e morte de cruz. Nele temos tudo, toda a revelação do que Deus é, do que Deus quer, do que Deus o Pai quer transmitir mais plenamente.



Ocorre que o legalismo que é uma centralização da moral e religiao em leis e o esforço por obra segundo as leis, ainda resiste depois de 2000 anos de pregação apostolica, e mesmo na época de Paulo , havia muitos judaizantes que não largavam a lei como referencia ainda maior ou igual , por mais que aceitassem Cristo.

Hoje, depois de 2000 anos, eu mesmo nasci no adventismo onde muitas vezes (não todas) a lei é o centro das atenções: Na teologia e mentalidade do adventismo em geral , Jesus aponta para a lei, vive para a lei, cumpre a lei, morre para satisfaze-la na cruz, e o Espírito Santo em nós obra para torna-nos cumpridores da lei, o que não deixa de ser em pequena parcela uma verdade.

É claro que muitos sabem que a lei quem serviu para conduzir a Cristo e não o contrario, Cristo para nos conduzir a lei, pois o padrão moral em Cristo é infinitamente superior ao que a lei pobremente requer de nós. Sabemos que na cruz Deus satisfaz a si mesmo, matando seu filho e derramando sua ira contra o pecado, e aquele que se fez pecado em nosso lugar, e que pecado não é apenas uma transgressão da lei , é muito mais, é qualquer dessemelhança nossa com Cristo, com Deus, pois que nossa queda foi perder a semelhança com o Criador. Sabemos que o Espírito Santo foi derramado em nós para que Cristo vivesse em nós e nós manifestássemos Jesus, o Cristo vive em mim, morrendo para a carne e vivendo e andando no Espírito. Quem anda no Espírito cumpre não somente a lei mas busca cumprir toda vontade de Deus, estando ela na lei, fora e alem da lei e até algumas vezes, contra a lei (abraão e isaac, pães asmos, Raabe, parteiras de Moisés, etc). Pois o carater de Deus é espiritual e a letra não pode expressar todo o carater e vontade de Deus .


Mas o legalismo superou 1888 e dura até hoje, não somente entre nós mas em varios cristãos que vivem num mundo dirigido por leis romanas, e não raramente vemos insistencias legalistas se estabelecendo mesmo dentro da teologia biblica que o condena como algo ultrapassado. Como referencia muito rudimentar, elementar e pobre, pois Jesus e seu carater (que é a exata expressão de Deus) é que deve ser a referencia, toda lei foi reinterpretada nele , e muitos acréscimos ele ensinou, bem como exemplificou em sua vida- Logo, Ele é o centro de tudo, Ele é nosso guia, nosso mestre, nosso tudo, nele reside toda a sabedoria que a lei podia e não podia expressar!

Alguns itens perduram hoje orque aconteceram com os judeus legalistas tambem...é por isso que se diz que a lei estava enferma pela carne- e se diz que se houvesse uma lei que pudesse produzir justiça cristo teria morrido e vindo em vão, bastava Deus dar leis.

Eis alguns exemplos de problemas que ocorrem quando vivemos no legalsmo:

1. O exclusivismo religioso foi repreendido por Jesus em diversas ocasiões quando disse que é em espirito e em verdade que os verdadeiros adoradores adoram a Deus, quando declarou diversas vezes que viriam reis de toda a parte da terra comer nos céus enquanto israrelistas ficariam de fora, que nem em todo Israel havia visto fé como de uma mulher gentia, etc...Ocorre que por mais que o conceito separatista, farisaico e exclusivista de "povo escolhido" por Deus fosse abolido e instituido o povo de Deus no espírito abrangendo a todos os gentios (Efesios 2), por mais que o muro de separação exclusivista que consistia em seguir certas leis e regras especiais fosse cancelado, DIVERSAS igrejas atuais inclusive a igreja adventista do sétimo dia, retomam este conceito anti-cristão, judaico, exclusivista, para que pertença aos seus membros, gerando atitudes semelhantes a dos judeus ao considerarem a salvação como estando atrelada a pertencer a este povo, a concordar doutrinariamente...atitudes de soberba, de se considerarem superior aos outros e outras igrejas, a classificarem quase todo milagre dos outros como originados do demonio, a viverem angustiados com a morte de alguma pessoa que não se batizou na sua igreja, etc...




Rejeitamos por completo este conceito que reedifica o que foi abolido por Jesus, que reedifica muro de separação entre as pessoas através de uma idéia de exclusivismo. Cremos em Cristo que pelo seu espírito guia suas ovelhas ao seu aprisco e não a aprisco visivel.

2. Percebemos que quase não se prega sobre o tema nova aliança na igreja adventista do sétimo dia, por mais que o novo testamento seja centralizado no sangue da nova aliança e o termo "nova aliança" seja citado mais de 100 vezes ...Propomos, não somente a faze-lo, como tb a esclarecer cada vez mais as diferenças entre a velha e nova aliança demonstradas na Bíblia.

3.Propomos mostrar que o racionalismo cristão é contra o novo testamento que busca se basear mais na fé e na sabedoria divina, do que na sabedoria e racioccinio humano (Corintios)

4. Pretendemos pregar para que se diminua a ênfase em estudos mais que em inspirações, como se conhecimento salvasse mais que a atuação de Deus. Rejeitamos oratoria bonita pela palavra inspirada, rejeitamos esforços intelectuais em troca de esforços de busca de se humilhar pela presença de Deus, rejeitamos diplomas quando percebemos que Deus quem está chamando até mesmo um analfabeto para uma det4erminada tarefa, inclusive e sobretudo, ministerio.

5. Apregoamos que o "eu" deve morrer e "Jesus" deve ser formado em nós pelo espírito, que isso é relamente conversão e não uma infinidadd de estudos, concordancias, convencimentos de crenças, credos e doutrinas, sábados, mortalidade da alma, etc..

6. Apregoamos que Laodicéia é uma condição espiritual pertencente a muitas pessoas, muitas Igrejas, muitas mentalidades arrogantes, e rejeitamos interpretações exlusivistas como se fôssemos o centro da obra de Deus na terra. Cremos que isso é simplesmente uma mentira judaica perpetrada entre nós, pois a obra de Deus é invisivel, não tem placa e tem muitas placas, não tem limites, Deus está onde adoradores o adoram em espirito e em verdade,

7. Apregoamos que os homens sejam mais fiéis a Deus que a suas Igrejas, mais servos de Deus que servos de Igrejas e líderes. E que aqueles que na prática recusarem tal pregação ficam inseridos como alvos das maiores ameaças bíblicas destinadas aos adoradores da besta e da sua imagem, copia, que reflete o dominio medieval religioso. (apocalipse 14)



8. Pregamos que o criterio para se eleger pessoas para a obra de Deus é antes de tudo a orientação do Espírito Santo, que poderá nos guiar pessoas que não desejariamos como Saulo, o assassino dos cristãos e Madalenas, etc...Devemos perceber nas pessoas que serão eleitas se existe semelhança da pessoa com Jesus, ou se pode perceber que Jesus está sendo formado nela, se ela e sua familia manifestam Jesus servo, perdoador, misericordioso, abnegado, que se sacrifica pela verdade, simples, humildade, bondoso..A Bíblia fala dos filhos de um pretenso lider, pois se os filhos não refletem o espírito de Cristo , como esperar que um lider assim inspire e transmita Jesus a Igreja de Deus?


sodre

Número de Mensagens : 10
Data de inscrição : 12/04/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum